PROJETOS PARA AREA DO SERVIÇO SOCIAL

Proposta de Formação e Ações Complementares na Elaboração,
Execução e Ampliação das Políticas Públicas na área do Serviço Social

    Proposta de Formação e Ações Complementares na Elaboração, Execução e Ampliação das Políticas Públicas na área do Serviço Social ​ e Educação.

   

    Nosso equipe é formado por profissionais que buscam (re)criar conhecimentos científicos consistentes para o atendimento dos setores excluídos da sociedade, por meio de processos educativos e que almejam intervir na situação de desigualdade social e injustiça. Dentre os trabalhos realizados em projetos, podemos destacar: 

   

- Programas de formação de educadores sociais, que atuam e ou pretendam atuar junto a contingentes de crianças e adolescentes, jovens ou adultos excluídos, tendo como base à educação libertadora, a metodologia construtivista lúdico-sócio-histórica;  

Propostas de assessorias, consultorias, organização realização de seminários e cursos que acompanham os programas de atendimento visando implementar a prática educativa que privilegie a Ação/Reflexão/Ação, à luz do ECA (Lei 8069/90);

Propostas de ampliação e implementação de políticas publicas da Assistência Social e dos Direitos da Criança e do Adolescente;

Propostas de articulação política, institucional e com os movimentos populares, da sociedade civil organizada, a fim de fortalecer a luta pelos direitos das crianças e adolescentes excluídos da sociedade. ​

       

    Temos por objetivo contribuir com a efetivação da democracia participativa no fortalecimento do Sistema de Garantias dos Direitos Fundamentais, por meio da construção coletiva e participativa de diretrizes, capazes de dar suporte ao Plano Decenal da Política de Atenção à Criança e Adolescente dos municípios e favorecer a edificação de indicadores que auxiliem no processo político e metodológicos de avaliação da participação efetiva no Controle Social do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).  

   

    Este processo será alicerçado pelos princípios e pressupostos da Gestão Social Participativa envolvendo ações intersetoriais, descentralizadas de acordo com o território geopolítico, fortalecendo uma visão integrada da Rede de Proteção Social.

   

   Assim, compreendemos que esta iniciativa pode responder e contemplar algumas propostas sugeridas nas conferências dos Direitos da Criança e do Adolescente e Conferência da Assistência Social dos municípios, num esforço coletivo para avançarmos na luta com vistas ao acesso e a universalização das políticas públicas, inerentes à efetivação dos direitos sociais e da cidadania.

 

Objetivos Gerais:

    Refletir sobre a prática dos profissionais do Serviço Social que atuam nos CRAS E CREAS a partir dos pressupostos da concepção de educação inclusiva e da legislação relacionada com a Política Nacional da  Assistência Social, buscando uma atuação consciente e comprometida com a realidade da comunidade local, com vistas à transformação da realidade.

 

    Mobilizar a comunidade estabelecer e aprofundar parcerias com escolas, famílias, conselhos, instituições públicas e privadas na consecução de programas complementares, que atendam à população local, acreditando que estas parcerias possam gerar forças capazes de promover e garantir os direitos fundamentais e o exercício da cidadania. ​ Objetivos Específicos:

1. Promover cursos de Formação de Educadores Sociais para os profissionais da Secretaria de Promoção e Desenvolvimento       Social.

2.Divulgar os serviços oferecidos à população através de mobilização (ações de intervenção lúdicas) e promover ações descentralizadas na Comunidade para famílias, representantes de ONG´s com o intuito de despertar a noção de pertencimento e de torna-los parceiros nas ações dos programas da secretaria.

3. Diagnosticar necessidades emergenciais e promover cursos, oficinas e palestras para os usuários (crianças, adolescentes, adultos e idosos) dos serviços do CRAS E CREAS.

4. Aplicar uma metodologia lúdica e participativa na execução das atividades.

5. Incentivar a participação cidadã de crianças, adolescentes, famílias e dos servidores da Secretaria da Promoção e Desenvolvimento Social na construção e na gestão da Política de Atenção à Criança e Adolescente.

6. Realizar análise de conjuntura sobre o cenário sócio político nacional e da efetivação dos direitos fundamentais dos municípios.

7. Elaborar instrumentais de avaliação participativo.

8. Planejar as ações sistematicamente junto a Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social e aos coordenadores dos CRAS E CREAS, objetivando assim, ações compartilhadas de todos os atores sociais que integram este processo.

Metodologia:  ​

     

    Nossos projetos pressupõem a participação cidadã de acordo com os princípios da Política Nacional de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos Fundamentais da Criança e do Adolescente, definidos nas diretrizes da 8ª  Conferencia Nacional da Criança e do Adolescente e da VII Conferência Nacional de Assistência Social que diz que é necessário: 

  • O reconhecimento da criança  e do adolescente como sujeito de direito.

  • O respeito aos direitos humanos de crianças e adolescentes assegurados nas Normas Nacionais e Internacionais existentes.

  • Igualdade e respeito à diversidade.

  • A universalização dos direitos e das políticas.

  • A equidade e justiça social.

  • A garantia de prioridade absoluta.

  • A descentralização político - administrativo e a municipalização

  •  A participação e controle social.

  • Articulação das várias esferas de poder e entre governos e sociedade civil.

  • A articulação, integração e intersetorialidade das políticas, programas e serviços.

  • A transferência da Gestão do Estado.

  • Processo histórico da participação popular no país: nossa cidade em movimento.

  • Trajetória e significado do controle social na política de assistência social.

  • Protagonismo dos usuários, o seu lugar no SUAS.

  • Democratização da Gestão do SUAS – participação e articulação intergovernamental.

PROPOSTAS DE CURSOS

CURSO DE FORMAÇÃO DE EDUCADOR SOCIAL

    A ideia dessa proposta é realizar um Curso de Formação de Educador Social a fim de capacitar os participantes para refletir e tratar de temas que estão na pauta do dia na área da educação e do serviço social relacionados com os direitos humanos, com concepção de educação, conjuntura politica e social, com a erradicação do trabalho infantil, com a prevenção à violência, com a disseminação do ECA – Estatuto da Criança.
     No intuito de socializar conhecimentos e experiências educacionais na área da infância e juventude, desenvolvemos nossas Formações na perspectiva de colaborar e despertar questionamentos de nossa atuação junto a esta clientela. Formação esta que vem demonstrando que as relações humanas podem e devem ser mais valorizadas e respeitadas em suas diferenças. Pois acreditamos que o diálogo, a convivência, a troca de experiências vividas, acompanhados da ação / reflexão / ação, faz com que repensamos e reformulamos nossas atitude no sentido de avançar para a transformação social.
    Atuar na promoção, defesa e garantia dos direitos da Criança e do Adolescente, em consonância com as políticas e as diretrizes da Política Nacional de Assistência Social – PNAS, Lei Orgânica da Assistência Social-LOAS e a Norma Operacional Básica-NOB do Sistema Único da Assistência Social.

     

METODOLOGIA

    A metodologia utilizada para nossos cursos concebe os educadores como sujeitos do processo e, rejeita identificá-lo como mero executor de um modelo pedagógico imposto como um receituário pronto, pois se pretende ser um encontro grupal de Educadores, espaço vivo de debates, para pensar e repensar a prática, criar e recriar conhecimentos, ver e rever pressupostos, descobrir e socializar os desafios e as perspectivas do educar libertador, como também indagar, comunicar-se e inquietar-se.

      Esta formação passa pela apropriação da capacidade de pensar a própria prática, teorizar sobre ela, decidir quais atividades são mais adequadas, para provocar a ampliação do conhecimento da comunidade aprendiz, observar suas reações afetivas, cognitivas e ideológicas, registrar as ocorrências significativas do processo de trabalho.

    Trabalhar com conceitos relacionados com planejamento através de dinâmicas e exercícios e jogos que envolvem às linguagens artísticas e lúdicas a fim de ampliar o repertório de ações pedagógicas e promover reflexão sobre a relação ensino e aprendizagem na educação na educação social, o ato educativo e às relações educador-educando nas suas mais variadas dimensões.

    Como pensamos em uma transformação da prática educativa visando à criação de condições objetivas de desenvolvimento pleno dos educandos, será parte integrante do curso e do processo dos encontros promover atividades que objetivam o autoconhecimento

PROPOSTA FORMAÇÃO ED SOCIAL CONTEÚDO.png
IMG_20140817_123036749_edited.jpg
Congresso Internacional pedagogia social 1.jpg
IMG_20140817_095452693.jpg
Congresso Internacional pedagogia social 2_edited.jpg

OBSERVAÇÃO:
As propostas detalhadas e as condições para realização do curso serão enviadas mediante manifestação de interesse.