Projetos para Área da Saúde - PREVENÇÃO

Tema: Prevenção às DST Aid´s e a Gravidez Precoce

    A proposta desta montagem levou em consideração o artigo assinado por Gilberto Dimenstein publicado em 4 de outubro de 1999 no jornal Folha de S. Paulo sob o título “Estudo relaciona falta de escolaridade com gravidez” lê-se: o melhor método anticoncepcional para as adolescentes é a escola: quanto maior a escolaridade, menor a fecundidade e maior a proteção contra doenças sexualmente transmissíveis”.

    Segundo a pesquisadora Helena Altmann a escola é apontada como um importante instrumento para veicular informação sobre formas de evitar a gravidez e de se proteger de doenças sexualmente transmissíveis, chegando-se a ponto de afirmar que quanto mais baixa a escolaridade, maior o índice de gravidez entre adolescentes.

  De acordo com os PCN’s, em virtude do crescimento de casos de gravidez indesejada entre adolescentes e do risco da contaminação pelo HIV, o tema Orientação Sexual foi criado como um dos temas transversais a ser trabalhados ao longo de todos os ciclos de escolarização. Cabe, portanto, à escola e não mais apenas à família – desenvolver uma ação crítica, reflexiva e educativa que promova a saúde das crianças e dos adolescentes.

    O espetáculo é recheado de humor e tem sido apresentado para adolescentes e jovens do ensino médio.     

    Através das linguagens do teatro clown, dos bonecos e da música estabelecemos uma interação com o público garantindo ainda o espaço do debate após as apresentações para esclarecer possíveis dúvidas.

IMG_0532.JPG
WhatsApp Image 2018-11-20 at 10.59.37 (1).jpeg
IMG_0482.JPG

Tema: Saúde da Mulher

Outubro Rosa - Prevenção ao câncer de Mama

IMG_9105.JPG

“Vidas das Divas” O espetáculo com texto e direção de Isaias Zazá traz à tona a reflexão sobre a importância dos cuidados com a saúde da mulher com destaque para a prevenção do câncer de mama, doenças ginecológicas prevalentes, Dst-aids, enfretamento e combate à violência doméstica. As personagens mostram situações que envolvem a necessidade de cuidado e atenção que estão apontados e referendados pela Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher. De forma lúdica o espetáculo expõe um breve diagnóstico da situação da saúde da mulher no Brasil (dados de mortalidade da mulher, da violência, etc.).

Além de proporcionar informações sobre a necessidade de implantação de políticas públicas de humanização e de qualidade voltadas para atenção integral à saúde da mulher, procurando fortalecer sua capacidade de intervir na reivindicação de seus direitos e busca de melhoria para a promoção de sua saúde, o espetáculo homenageia as mulheres presentes e as mulheres que fizeram parte da história. As personagens (bonecos e clown) estabelecem diálogos com o público, recitam poemas de grandes poetizas, artistas e mulheres que revolucionaram o mundo o mudaram o rumo da humanidade. Utilizamo-nos das linguagens do teatro clown (palhaço), do teatro de Bonecos e da música, envolvendo a plateia a refletir a temática de forma cômica e lúdica.

Tema: Saúde do Homem

Novembro Azul - Prevenção ao câncer de Próstata

    “Discutindo a saúde do homem e do idoso através do teatro de bonecos” O espetáculo com texto de Isaias Zazá e Thiago Noel e foi concebido produzido por Isaias Zazá.  A principal abordagem fica por conta das temáticas que definiram o documento da política da saúde do homem, na disseminação do estatuto do idoso e das temáticas relacionadas com as políticas da saúde do idoso. No roteiro contamos com a participação de um boneco vovô Chico, conselheiro de saúde, que acabou de perder sua mulher para o câncer de mama e por conta disto teve que assumir tarefas que colocaram em xeque sua masculinidade, a necessidade de ruptura de alguns conceitos e mitos relacionados com a sexualidade masculina e com a própria saúde do homem.

    Vovô Chico conversa com seus netos (bonecos) e ao mesmo tempo estabelece o diálogo com o público de forma extrovertida.     Ele procurando ampliar o conceito de acolhimento no núcleo familiar, nas relações intergeracionais, além de refletir aspectos relacionados com a morbidade entre homens e idoso. As personagens procuram interagir com o público ao longo do espetáculo criando uma atmosfera lúdica que favorece a participação. Utilizamo-nos das linguagens do teatro clown (palhaço), do teatro de     Bonecos e da música, envolvendo a plateia para refletir a temática de forma cômica e lúdica.

Tema: Saúde Mental

"De nós dois quem é louco verdadeiro?"

"De nos dois quem é louco verdadeiro? ” Com texto e direção de Isaias Zazá o espetáculo aborda o universo da saúde mental. A ideia é propiciar reflexão acerca da necessidade da construção de um modelo humanizado de atenção integral na rede pública de saúde, com foco na promoção da cidadania e inclusão social às pessoas com patologias psíquicas. Inspirado pelo personagem Dom Quixote de Miguel de Cervantes e no poema “Que é loucura” de Carlos Drummond de Andrade atores clown e bonecos vivenciam experiências que descontroem a representação da loucura na sociedade contemporânea.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), calcula-se que a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas no mundo, que cerca de 800.000 pessoas se suicidam a cada ano, que 78% dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda, e que o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos.

 

No Brasil, 21% dos jovens entre 14 e 25 anos têm sintomas indicativos de depressão. Entre as mulheres, a proporção é de 28%, segundo dados do 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas, realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Além do abuso do álcool, outro fator que preocupa quando o tema é depressão ou ansiedade é o uso de medicamentos.

Em função da pandemia do Coronavírus a comunidade médica e científica diagnosticou  o surgimento de 4 ondas de consequências, dentre elas o apontamento do aumento de transtornos mentais e do trauma psicológico provocados diretamente pela infecção ou por seus desdobramentos secundários. 

Como aponta a Dra. Fernanda Benquerer Costa, médica psiquiatra: 

"...O aumento dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais durante a pandemia pode ocorrer por diversas causas. Dentre elas, pode-se destacar a ação direta do vírus da Covid-19 no sistema nervoso central, as experiências traumáticas associadas à infeção ou à morte de pessoas próximas, o estresse induzido pela mudança na rotina devido às medidas de distanciamento social ou pelas consequências econômicas, na rotina de trabalho ou nas relações afetivas e, por fim, a interrupção de tratamento por dificuldades de acesso.

Esses cenários não são independentes. Ou seja, uma pessoa pode ter sido exposta a várias destas situações ao mesmo tempo, o que eleva o risco para desenvolver ou para agravar transtornos mentais já existentes.

O distanciamento social alterou os padrões de comportamento da sociedade, com o fechamento de escolas, a mudança dos métodos e da logística de trabalho e de diversão, minando o contato próximo entre as pessoas, algo tão importante para a saúde mental.

O convívio prolongado dentro de casa aumentou o risco de desajustes na dinâmica familiar. Somam-se a isso as reduções de renda e o desemprego, que pioram ainda mais a tensão sobre as famílias. E, ainda, as mortes de entes queridos em um curto espaço de tempo, juntamente à dificuldade para realizar os rituais de despedida, dificultando a experiência de luto e impedindo a adequada ressignificação das perdas, aumentando o estresse."

 

A ideia do espetáculo ou das intervenções lúdicas é envolver numa colagem, trechos com depoimentos de usuários da saúde mental, textos de filósofos, pesquisadores das áreas da saúde mental e artistas, com textos e ações que contribuam para a reflexão e transformação desta realidade. 

Nossa pretensão a partir das intervenções lúdicas ou apresentações é instituir rodas de conversa sobre o tema e promover informações que possam orientar o público acerca da rede de atendimento dos CAPS, sobre dicas que podem ajudar a aumentar o bem-estar das pessoas e promover uma reflexão sobre a luta antimanicomial que versa sobre a substituição progressiva do hospital psiquiátrico por uma rede de atenção integral à saúde mental antimanicomial, sobre o desmonte do aparato jurídico-institucional que legitima a instituição manicomial e o enfrentamento da cultura manicomial, resinificando a loucura.

bispo remédio.png
bispo.JPG
Bispo e CRP.jpg

Intervenções com o Boneco Arthur Bispo do Rosário na entrega do Prêmio Athur Bispo pra usuários da saúde mental

Evento organizado pelo CRP - Conselho regional de Psicologia/SP. 

Tema: Prevenção à Dengue, Chikunguya e Febre Amarela

Campanha de Prevenção - CHATO, CRICRI. PERNILONGO

Dengue 1.jpg

     Neste espetáculo tratamos no enredo sobre as formas de prevenção e de eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febre Chikungunya, a febre amarela urbana e o Zika vírus.
 

      A peça é uma maneira de conscientizar para a importância da prevenção muito mais de forma prazerosa e divertida e desta maneira podemos garantir que mensagem é recebida e assimilada pelo público participante. Procuramos garantir a interação de todos a partir da ludicidade e da utilização das linguagens artísticas do teatro clown, teatro de bonecos e da música. 

OBSERVAÇÃO:
As propostas detalhadas e as condições para realização dos espetáculos serão enviadas mediante manifestação de interesse.